Ir direto para menu de acessibilidade.
dia do meio ambiente

UFLA lança campanha por uso consciente de água e energia, com programação especial para os próximos dias

Escrito por Ana Eliza Alvim | Publicado: Sexta, 03 Junho 2022 09:03 | Última Atualização: Sexta, 03 Junho 2022 13:12 | Acessos: 590

A Diretoria de Gestão da Qualidade e Meio Ambiente (DQMA/Proinfra/UFLA), com apoio da Coordenadoria de Comunicação (CCS) e da Pró-Reitoria de Extensão e Cultura (Proec), lança, neste Dia Mundial do Meio Ambiente (5/6), uma campanha para estimular a redução no consumo de água e energia nos câmpus da Universidade Federal de Lavras (UFLA). A iniciativa faz parte das ações #UFLAporUmMundoMelhor e busca uma mobilização permanente da comunidade universitária e de Lavras no cuidado com esses recursos. O material informativo será divulgado pelas mídias institucionais e Rádio Universitária, além de ser disponibilizado em versão impressa nos espaços físicos da Universidade. Haverá também uma programação de ações presenciais no câmpus, com a participação de escolas da cidade, e na praça Dr. Augusto Silva, em parceria com a Prefeitura de Lavras..

O uso consciente de água e energia precisam estar relacionados, já que, no Brasil, a produção energética é predominantemente hidrelétrica. Por isso, “Economize água e energia! Faz bem para o planeta, faz bem para o bolso” é o lema da campanha lançada na UFLA. De acordo com a diretora de Gestão da Qualidade e Meio Ambiente da UFLA, professora Fátima Resende Luiz Fia, a iniciativa busca, ao mesmo tempo, proteger os recursos ambientais e garantir o bom uso do dinheiro público. “O crescimento da infraestrutura da UFLA, associado ao início das atividades em São Sebastião do Paraíso, ao funcionamento do sistema FreeStall localizado na Fazenda Experimental Palmital, em Ijaci/MG e ao futuro funcionamento do Hospital Universitário representam aumento na demanda dos recursos água e energia. Levando em consideração que a UFLA foi capaz de fazer história no ensino, na pesquisa, na extensão e na prestação de serviços em uma das áreas mais estratégicas para a nação - a das Ciências Agrárias - sempre vencendo o desafio de utilizar os recursos naturais em harmonia com a preservação ambiental, precisamos aliar a expansão deste momento à mobilização de nossa comunidade para garantir um avanço sustentável”, diz. 

Confira a programação de atividades presenciais da campanha em Lavras

5/6 - Participação em atividade promovida pela Prefeitura de Lavras na Praça Dr.  Augusto Silva. A DQMA/UFLA apresentará as ações da Universidade, voltadas para a preservação do Meio Ambiente. Haverá também recolhimento de pilhas e baterias. Confira a programação da Preitura na Praça.

7/6 (13h às 17h) - Dia de conscientização pela preservação do meio ambiente na UFLA, com presença de escolas do ensino básico no câmpus. Haverá apresentação dos núcleos de extensão que trabalham com a temática do meio ambiente e a DQMA promoverá  visitação às  estações de Tratamento de Água e de Esgoto da UFLA.

8/6 (9h às 14h) - Retorno da Feira Agroecológica da UFLA no Canteiro Central do câmpus.

10/6 - Blitz educativa na portaria da UFLA, pela qual a DQMA informará motoristas e pedestres sobre a campanha.

Energia elétrica na UFLA

A necessidade de redução no consumo de energia elétrica na UFLA está determinada na Resolução Cigov nº 5, de 6 de dezembro de 2021, que leva em consideração diretrizes do Plano de Desenvolvimento Institucional da UFLA (PDI 2021-2025) e do Decreto Federal nº 10.779, de 15 de agosto de 2021,o qual estabelece medidas para essa redução no âmbito da administração pública federal. No câmpus de Lavras, se considerados dados de 2019 (anteriores à pandemia, com 100% de atividades presenciais), o consumo de energia elétrica foi de 630.233 kWh/mês, equivalente ao consumo de uma cidade de cerca de 12.732 habitantes.

A Resolução do Cigov estabelece uma série de medidas para a redução no consumo de energia. Por exemplo, cada unidade organizacional deve estruturar seu próprio plano de redução no consumo e designar servidores para auxiliar nas orientações à comunidade interna; a produção de energia fotovoltaica deve ser priorizada; fazendas e áreas experimentais devem se atentar a orientações específicas, entre outras ações.

Outra medida estipulada é a instalação de medidores individuais nas edificações que ainda não possuem, no prazo de um ano, de modo que possa ser realizada a leitura presencial ou automática. A Diretoria de Gestão de Tecnologia da Informação (DGTI) e o Setor de Eletricidade da Pró-Reitoria de Infraestrutura e Logística (Proinfra) já estão realizando um levantamento para quantificar o número de prédios que não possuem medição de energia elétrica, para a aquisição de aparelhos de medição. O objetivo é que todos os prédios da Instituição possuam monitoramento do consumo de energia elétrica. Atualmente, a UFLA possui 110 medidores de energia elétrica instalados.

Em todas as edificações onde existe medidor de energia elétrica instalado, já foram designados, por portaria, servidores responsáveis pela leitura do consumo e envio dos dados à DQMA.  A DGTI está em processo de finalização da ferramenta a ser utilizada para o compartilhamento dessas informações, o que está previsto para entrar em atividade já no mês de junho.

Um direcionamento importante adotado pela UFLA na área energética é a produção de energia fotovoltaica. Há conjuntos de painéis fotovoltaicos instalados próximos ao Centro de Eventos, ao Departamento de Medicina Veterinária e em cinco eco-bicicletários. A DQMA iniciou o monitoramento da geração de energia nesses locais. Os dados são compartilhados mensalmente com os gestores responsáveis pelos projetos elétricos da Instituição. Em fevereiro, por exemplo, esses conjuntos, somados, geraram 31.828,20 kWh/mês, o que representou uma economia de 6,52% na fatura de energia elétrica. A usina fotovoltaica situada próxima ao Centro de Eventos ainda não atua em sua totalidade, já que a instalação não foi concluída. O processo licitatório para aquisição dos materiais pendentes encontra-se em andamento, com previsão de conclusão ainda em 2022. Há também a previsão da construção de outra usina fotovoltaica, próxima ao Parque Tecnológico. A obra, que será subsidiada pelo governo do estado de Minas Gerais, aguarda os recursos e ainda não tem previsão de ser iniciada.

Consumo de água no câmpus

Em 2019, o consumo de água tratada na UFLA ficou na média de 473.900 litros por dia. Sem as intercorrências da pandemia, trata-se de um quantitativo suficiente para  uma cidade de 3.116 habitantes, e cerca de 97% desse total é proveniente de reservas próprias da Universidade. Considerando a água não tratada, usada para irrigação e outras demandas, o consumo chega a 1 milhão de litros ao dia. O câmpus em Lavras conta com nascentes reflorestadas, três poços artesianos, estruturas para captação da água das chuvas e estações de tratamento de água (ETA) e esgoto (ETE) – desenvolvidas com tecnologia própria. O objetivo é manter um consumo responsável, de forma que as reservas internas sejam capazes de dar suporte às atividades no câmpus. Anualmente, as reservas próprias representam uma economia de cerca de 3,7 milhões de reais aos cofres públicos.

Mesmo que o câmpus-sede da UFLA esteja em área privilegiada, com nascentes em todo o seu perímetro e barragens robustas que garantem o abastecimento de água da Universidade quase que em sua totalidade, uma atenção especial é necessária para o uso racional deste recurso. É importante que essas reservas continuem sendo suficientes para atendimento à comunidade universitária, evitando-se o desperdício, que pode ter impacto sobre as reservas de água de todo o entorno.

A DQMA explica que o sistema de abastecimento de água não é ilimitado. De acordo com dados da organização internacional não-governamental World Wide Fund for Nature (WWF), do total de água disponível no planeta, 97% estão nos mares e oceanos (água salgada) e apenas 3% são água doce. Dessa pequena porcentagem, pouco mais de 2% estão nas geleiras (em estado sólido) e, portanto, menos de 1% está disponível para consumo. 

À medida que a população aumenta e o clima muda, os níveis de abastecimento de água estão em uma diminuição gradual. A economia de água é muito importante tanto para preservação do meio ambiente, como para a economia financeira e responsabilidade para com o investimento dos recursos públicos. A UFLA possui uma Estação de Tratamento de Água (ETA), e para que a água chegue aos usuários atendendo a todos os requisitos de potabilidade, diversos processos são realizados, como captação, tratamento e distribuição. Eles envolvem custos de energia elétrica, produtos químicos utilizados no tratamento e manutenção de equipamentos e estruturas de distribuição, além de mão de obra especializada.

Políticas de reciclagem e reaproveitamento de água devem ser cada vez mais conhecidas, assim como identificação de vazamentos e campanhas de conscientização para o uso racional dos recursos hídricos. Todas essas iniciativas são muito importantes para garantir o abastecimento desse recurso natural vital para a sobrevivência.

Conheça as medidas que a comunidade universitária deve adotar.