Ir direto para menu de acessibilidade.
Novas parcerias

Pós-graduação da UFLA marca presença em Moçambique

Escrito por Camila Caetano | Publicado: Quinta, 06 Setembro 2018 12:27 | Última Atualização: Quinta, 06 Setembro 2018 12:37 | Acessos: 1182
Diretor geral adjunto do Instituto de Bolsas de Estudo, Miguel Inácio, com o pró-reitor de pós-graduação da UFLA, Rafael Pio
Diretor geral adjunto do Instituto de Bolsas de Estudo, Miguel Inácio, com o pró-reitor de pós-graduação da UFLA, Rafael Pio

O pró-reitor de Pós-Graduação da Universidade Federal de Lavras (UFLA), professor Rafael Pio, esteve, nesta semana, em Moçambique, com a finalidade de fortalecer as parcerias já existentes e incentivar novas.

Ele participou de uma reunião com o diretor de pós-graduação da Faculdade de Ciências Agrárias (primeira Universidade Pública de Moçambique), professor Valério Macandza, com o intuito de apresentar os programas de pós-graduação da UFLA, para estimular a vinda de novos estudantes da região, além da possibilidade de participação dos docentes. “Temos inclusive um docente dessa faculdade que faz pós-graduação conosco no Programa de Estatística”, comentou Rafael Pio.

O pró-reitor também marcou presença no Ministério de Ciência e Tecnologia do Ensino Superior e Técnico Profissional, reunindo-se com o diretor geral adjunto do Instituto de Bolsas de Estudo, Miguel Inácio. Na ocasião, Rafael Pio apresentou os dados da pós-graduação da Universidade, destacando que de 2012 a 2018/1 a UFLA contou com 172 discentes estrangeiros nos programas de pós-graduação, sendo que 46 são de Moçambique.

“A UFLA está empenhada em receber mais estudantes de Moçambique nos próximos anos. Por isso, pedi um apoio por parte do Ministério, para que apresentem a UFLA aos interessados em programas de pós-graduação. E como desenvolvemos agricultura para os trópicos, o conhecimento adquirido na UFLA pode ser aplicado no desenvolvimento socioeconômico de Moçambique”.

Rafael Pio também comenta que o Ministério passou a priorizar a qualificação dos docentes e dos pesquisadores de Moçambique. A meta do governo é de que 100% dos professores do Ensino Superior tenham pelo menos o título de mestre. Com a finalidade de incentivar o intercâmbio de docentes e de estudantes de Moçambique, o pró-reitor também esteve na Universidade São Tomás de Moçambique, com o pró-reitor de Pós-Graduação, Anselmo Orlando Pinto.WhatsApp Image 2018 09 05 at 11.47.33 AM

Além disso, esteve na embaixada dos EUA em Moçambique, para conhecer melhor o acordo USAID, da Michigan University, que financia bolsas pelo programa BHEARD, que visa a mobilidade de estudantes de Moçambique para realização de pós-graduação no Brasil. “Nós temos três estudantes de pós-graduação por meio desse programa, inclusive um deles é meu orientado. Essa foi a primeira reunião que eles tiveram com um representante de uma universidade brasileira para ter um feedback”.

O pró-reitor também participou como orador principal do 2º Seminário de Investigação de Moçambique e ainda realizou a apresentação de um trabalho sobre cultivo de frutas em clima temperado nos trópicos.

Assunto(s): moçambique , intercâmbio