Ir direto para menu de acessibilidade.
Cuidado com a vida

Parceria entre UFLA e ONG congolesa gera impactos socioambientais e de segurança alimentar

Escrito por Cibele Aguiar | Publicado: Sexta, 09 Fevereiro 2024 15:11 | Última Atualização: Terça, 20 Fevereiro 2024 09:10
Gentileza solicitar descrição da imagem

Segundo maior país da África, a República Democrática do Congo (RDC) enfrenta desafios socioeconômicos extremos, conflitos internos e instabilidade política. A agricultura é a principal fonte de subsistência para a maioria da população. Desde 2007, a Universidade Federal de Lavras (UFLA) desenvolve o projeto Vozes da África, que continua expandindo sua proposta de paz para todas as regiões do planeta, pela produção de alimentos básicos e fundamentais para todas as populações. O impacto dessas ações é frequentemente registrado por meio de indicadores quantitativos e qualitativos, sendo o nome da UFLA muitas vezes citado como impulsionador de grandes transformações. 

Projeto Alimentando Conhecimentos durante minicurso sobre alimentação alternativa para comunidade congolesaO Projeto Vozes da África, coordenado pelo professor emérito da UFLA Gilmar Tavares, conta com o apoio da Agência Brasileira de Cooperação do Ministério das Relações Exteriores (ABC/MRE), assim como dos núcleos Agroecologia, Permacultura e Extensão Universitária Inovadora (Neape - DEA/DEG) e Alimentando Conhecimento (DCA), na área de segurança alimentar e nutricional de populações carentes.

Em 2023, o projeto de extensão Alimentando Conhecimentos, coordenado pela professora Ellen Cristina de Souza, da Escola de Ciências Agrárias de Lavras (Esal), teve como uma das ações o oferecimento de dois minicursos sobre alimentação alternativa para a Organização Não Governamental (ONG) Chemin de la Victoire (CV-RDC), da região de Beni e North Kivu. De acordo com a professora, os cursos buscaram incluir boas fontes energéticas com os alimentos que eles produzem, como cascas de banana, mandioca e milho. 

Mas o que uma ação de extensão, ministrada de forma on-line, pode impactar a vida dos participantes? Em relatório encaminhado ao professor Gilmar Tavares, o coordenador da ONG, Iteni  Kasali, relata os impactos da parceria.  

Impactos sociais e ambientais:

  • Capacitação em agroecologia, compostagem, biofertilização, etc.
  • Melhoria das técnicas e sistemas de produção agrícola dos agricultores familiares, seguindo os princípios da agroecologia sustentável;
  • Aumento da renda dos agricultores familiares ao utilizar técnicas de agroecologia sustentável;
  • Domínio na preparação de receitas alternativas com base em casca de banana, mandioca e milho;
  • Organização de duas cooperativas de pequenos produtores familiares;
  • Utilização de adubos naturais por vários agricultores familiares;
  • Proteção do meio ambiente e redução da degradação das terras agrícolas devido ao respeito às normas da agroecologia sustentável.

RDC7RDC6

 

 

 

 

 

 

 

 

No âmbito da Segurança Alimentar, Agricultura Familiar e Cantina Escolar, foram realizadas várias atividades no âmbito da parceria, com os seguintes impactos:

  • Capacitação sobre novas abordagens alimentares no complexo escolar La Pépinière;
  • Formação de uma equipe escolar para capacitar os interessados em novas abordagens sobre segurança alimentar, como a participação de agricultores familiares e pequenos produtores;
  • Adoção de adubos naturais que favorecem a produtividade, impulsionando as atividades da cantina escolar no complexo escolar La Pépinière;
  • Divulgação de receitas alternativas com base em alimentos locais;
  • Aumento do número de alunos e melhora no desempenho escolar, promovendo a retenção das crianças no complexo escolar La Pépinière;

Para o ano de 2024, a ONG pretende promover novos cursos de capacitação em diferentes áreas, apoiar as atividades da cantina escolar no complexo escolar La Pépinière, sensibilizar a população para o uso de fertilizantes orgânicos e cultivar um campo de milho, mandioca e banana. Todo o conhecimento compartilhado no âmbito da parceria também serve como fonte para a criação e transmissão de programas de rádio, voltados para alcançar a população da comunidade. Para Iteni  Kasali, a dificuldade para essas ações está na ausência de fontes de financiamento.

Atenção humanitária 

RDCNa região de Beni, no leste da RDC, a situação de segurança e direitos humanos é um desafio constante. A população precisa de abrigo, suprimentos básicos de ajuda humanitária, água potável e acesso a cuidados primários de saúde e educação. As pessoas enfrentam dificuldades para a produção de alimentos e os preços muitas vezes são inacessíveis.  A CV-RDC é uma ONG de ajuda humanitária e recuperação comunitária, que proporciona às populações vítimas de conflitos ou catástrofes assistência de emergência, combate às alterações climáticas, agricultura e apoio ao autocuidado.

Projeto Vozes da África 

Desde sua criação em 2007, o Projeto Vozes da África tem registrado impactos positivos na capacitação e melhoria das condições socioeconômicas da população das regiões de atuação. O professor Gilmar Tavares estima que cerca de 3500 agricultores familiares foram capacitados em Agroecologia no North Kivu e no entorno de Kinshasa. No Repositório Institucional da UFLA (RI UFLA) estão disponibilizadas publicações com com orientações extensionistas, alguns conteúdos publicados nos idiomas pátrios: swahili, lingala, kikongo e kiswahili. Além da África, o projeto ampliou as ações para o Afeganistão, Paquistão, Myanmar e Rússia, com o nome de Projeto Vozes da Ásia.

As imagens da RDC são da ONG Chemin de la Victoire (CV-RDC) 

 

 
Portal da Ciência - Universidade Federal de Lavras
FalaBR: Pedidos de informações públicas e manifestações de ouvidoria em um único local. Sistema Eletrônico de Informações ao Cidadão (e-SIC) e Ouvidoria.