Ir direto para menu de acessibilidade.
LANÇAMENTO

Expedição: 25 mil km para salvar a biodiversidade brasileira

Escrito por Camila Caetano | Publicado: Segunda, 06 Agosto 2018 10:45 | Última Atualização: Segunda, 06 Agosto 2018 10:47 | Acessos: 1202

A Expedição Urubu na Estrada, promovida pelo professor da Universidade Federal de Lavras (UFLA) Alex Bager, coordenador do Centro Brasileiro de Estudos de Ecologia de Estradas (CBEE/UFLA), será realizada entre agosto de 2018 e julho de 2019.  Serão percorridos 25 mil quilômetros de estradas brasileiras, visitando mais de 100 Unidades de Conservação, para realizar um diagnóstico dos efeitos da infraestrutura viária na biodiversidade e promover uma grande campanha de educação ambiental.

Será uma ação nacional envolvendo pesquisa científica, exposição itinerante, palestras, cursos técnicos e muito mais. Estão planejados dois roteiros, o Norte e o Sul. A primeira Unidade que receberá a Expedição será o Parque Nacional da Serra do Cipó, em Minas Gerais, entre os dias 16 e 21 de agosto. Depois a Expedição irá para o Parque Nacional das Cavernas do Peruaçu, Brasília, Veadeiros e assim por diante.

O roteiro completo da Expedição pode ser visto no site oficial (www.urubunaestrada.com.br) e todos podem acompanhar em tempo real o percurso que a Expedição está fazendo. No site serão disponibilizados mapas que serão atualizados continuamente, imagens, vídeos e posts escritos pelo pesquisador.

Como tudo começou

Em 2014, o CBEE lançou um aplicativo para mapear as áreas críticas de atropelamento em todo o Brasil, chamado de Urubu Mobile, que já conta com mais de 25 mil usuários e reúne mais de 100 mil registros em todos os estados brasileiros. O grande diferencial do Urubu Mobile é que ele atua na forma de ciência cidadã, ou seja, qualquer pessoa pode baixá-lo e ajudar o Centro no mapeamento, reduzindo custos e otimizando resultados.

Alex Bager destaca que nesses quatro anos de existência muitas ações foram realizadas, algumas mais locais, definindo pontos de instalação de passagens de fauna, e outras nacionais, como o projeto de lei 466/2015, que já está aprovado por três comissões da Câmara dos Deputados e aguarda votação na plenária.

 “A cada segundo são atropelados entre 15 e 17 animais selvagens no Brasil. Ao final de um dia esse número soma mais de 1 milhão de animais e no ano totalizam 475 milhões. A maioria desses animais são tão pequenos (sapos, cobras, aves e ratos) que nem vemos quando atropelamos, contudo quase 2 milhões de grandes animais também são mortos (tamanduás-bandeira, antas, capivaras, onças, lobos-guará, …). Em todos os casos o atropelamento aumenta muito a chance de a espécie ser extinta”, ressalta Alex Bager.

Um dos resultados mais preocupantes dos dados do Sistema Urubu é a constatação de que a maioria das Unidades de Conservação (UCs) brasileiras tem grande número de atropelamentos dentro da sua área ou no seu entorno. Se considerar apenas os dados de atropelamentos dentro das UCs, o Sistema Urubu já registrou mortes em mais de 150 Unidades. Pensando nisso, o professor decidiu realizar seu pós-doutorado avaliando de perto essa realidade.

Assim surgiu a Expedição Urubu na Estrada. Os resultados da ação serão publicados em artigos científicos e em manuais técnicos destinados para órgãos governamentais, concessionárias de rodovias, ONGs e outros segmentos da sociedade. Ou seja, fundamentais para a proposição de estratégias de conservação de espécies ameaçadas e implementação de políticas públicas de redução de acidentes. Também será produzido um documentário na forma de vídeo e livro.

Como participar?

A Expedição tem muitas possibilidades de participação e todas elas são gratuitas. As ações de educação ambiental serão sempre realizadas em locais de alto fluxo de pessoas e/ou nas próprias UCs, onde a comunidade de entorno, visitantes, escolas e outros interessados poderão aprender um pouco mais sobre impactos de rodovias e ferrovias na nossa biodiversidade. Universidades podem agendar a realização de palestras e até mesmo um curso de extensão de 5 horas de duração onde o pesquisador ensina todas as técnicas para realizar estudos de impactos de atropelamento de fauna selvagem.

Você também pode participar na Equipe de Apoio ou na Equipe Principal. Todos os detalhes podem ser obtidos no site da Expedição ou pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

Se a sua cidade ou região não está no roteiro da Expedição, você ainda pode ajudar. Faça o download do Urubu Mobile no seu celular, cadastre-se e fotografe os animais silvestres atropelados que você encontrar. As fotos devem ser tiradas direto no app. Quanto mais pessoas participarem melhor será o mapeamento das áreas críticas de atropelamento. Seja um pesquisador cidadão, participe da maior rede de conservação da biodiversidade brasileira!

Mais Informações
CBEE

O Centro Brasileiro de Estudos em Ecologia de Estradas é uma proposta interdisciplinar, interinstitucional e sem fins lucrativos, que se destina a desenvolver atividades de pesquisa, capacitação de recursos humanos e desenvolvimento e repasse de tecnologia em temas relacionados à Ecologia de Estradas.

O CBEE tem sua sede na UFLA, junto ao Departamento de Biologia, e foi criado em 24 de fevereiro de 2012 (Portaria 01/2012 da Pró-Reitoria de Pesquisa). Atualmente, suas ações são voltadas a quatro linhas: Pesquisa, Capacitação, Desenvolvimento e Transferência de Tecnologia e Políticas Públicas relacionadas a biodiversidade e empreendimentos lineares.

Atenção! As notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) estão disponíveis em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.