Ir direto para menu de acessibilidade.
Tecnologia

Com propostas inovadoras, Laboratório de Mobilidade Terrestre da UFLA tem se tornado referência nacional

Escrito por Karina Mascarenhas | Publicado: Sexta, 11 Janeiro 2019 11:34 | Última Atualização: Sexta, 11 Janeiro 2019 13:51 | Acessos: 1103
professores e alunos do LMT
Parte da equipe do Laboratório de Mobilidade Terrestre (LMT)

Oferecer à sociedade soluções para as novas modalidades de transportes - sustentáveis, de baixo custo e inclusivas - é o principal objetivo do Laboratório de Mobilidade Terrestre (LMT) da Universidade Federal de Lavras (UFLA). Criado em 2014, o LMT é um laboratório pluridisciplinar (com atuação nas áreas de engenharia, administração, economia, medicina e direito) que se baseia no contexto dos Sistemas de Transporte Inteligentes (ITS).

Segundo o professor do Departamento de Engenharia (DEG) Arthur de Miranda Neto, coordenador de Articulação Interinstitucional do LMT, a inclusão de novas modalidades de transportes na vida das pessoas apresenta um leque de desafios, por exemplo: como serão as novas cidades e como esses carros do futuro se comportarão no nosso território? Além disso, competências em sensoriamento remoto abrem possibilidades para outras demandas que vão surgindo.

Atualmente, com uma equipe formada por cerca de 50 membros, entre professores, mestrandos, doutorandos e estudantes da graduação, o LMT propõe alternativas práticas, de acordo com demandas da sociedade, do Estado ou de empresas privadas, contando com a colaboração de parceiros do Brasil e do exterior. Uma dessas parcerias foi feita com o Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), para promover a regulamentação e homologação de sistemas de veículos inteligentes que chegam ao Brasil.

“Diferentemente de um veículo normal, atualmente podemos tratar um carro como um robô sobre rodas. Temos sensores, computadores, atuadores e uma decisão a ser tomada que nem sempre é a do condutor; ela pode ser do sistema ou mesmo compartilhada. Por isso, o objetivo deste projeto é mostrar quais serão os novos modelos de certificação e homologação que teremos que estudar para um futuro breve”, explica Arthur.  Outro projeto em pauta no LMT é o de uma pista de testes, cuja área de 21 mil m² já foi demarcada no câmpus universitário e, futuramente, oferecerá outras possibilidades à demanda existente.

Outro coordenador do Laboratório, professor Danilo Alves de Lima (DEG/UFLA), conta que o trabalho também envolve testar as aplicações realizadas no LMT dentro do câmpus, acompanhando as tendências mundiais: “Estamos desenvolvendo hoje, em escala reduzida, um veículo elétrico que vai servir para diversos ambientes dentro do câmpus, trabalhando de forma autônoma e inteligente, e ainda outros veículos menores para realizar experimentos em ambientes internos que ajudarão nas pesquisas sobre posicionamento e comunicação entre sistemas a partir da luz, por exemplo”.

Para Arthur, o futuro oferece uma série de desafios “Que tipo de plataforma teremos no futuro, quais serão os novos sensores que deverão ser desenvolvidos em função de características específicas do nosso território? ” Além disso, com novas tecnologias chegando ao Brasil, outros modelos de negócio são criados, e isso gera oportunidades para os estudantes do LMT, que podem ir para o mercado de trabalho ajudando as empresas a se adaptarem às novas tecnologias ou até mesmo criando suas próprias Startups.

 

 

Reportagem: Karina Mascarenhas, jornalista - bolsista Dcom/Fapemig

Edição do Vídeo: Rafael de Paiva -  estagiário Dcom/UFLA  

Atenção! As notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) estão disponíveis em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.