Ir direto para menu de acessibilidade.
Pecuária

DEG elabora sensor para monitoramento de emissões de gases causadores do efeito estufa

Publicado: Sexta, 25 Janeiro 2019 15:14 | Última Atualização: Quinta, 23 Setembro 2021 21:24 | Acessos: 1739
Gentileza solicitar descrição da imagem

O Brasil é o quarto maior produtor mundial de leite, atrás apenas dos Estados Unidos, Índia e China. No país, Minas Gerais lidera a produção com quase 9 bilhões de litros produzidos em 2017, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No setor agropecuário, aumentar a produtividade do gado leiteiro esbarra em um entrave ambiental: as emissões de gases causadores de efeito estufa, como metano, dióxido de carbono e amônia, produzidos pelo gado em sistemas de confinamento de bovinos.

Na tentativa de monitorar e reverter o nível de poluentes nas fazendas, pesquisadores do Departamento de Engenharia (DEG) da Universidade Federal de Lavras (UFLA) desenvolvem um sistema de medição do microclima das propriedades rurais e das concentrações de amônia e metano em instalações para criação de vacas leiteiras do tipo Compost Barn – um tipo de confinamento que visa o bem-estar das vacas e melhora a produtividade da ordenha. Nessa espécie de galpão, o chão é coberto por uma "cama" de serragem ou outro material orgânico confortável para o animal. A ausência de baias também permite a movimentação livre das vacas, o que reduz o nível de estress do rebanho e, consequentemente, aumenta a produção de leite.  "Já observamos aumento na emissão de gases de efeito estufa com o Compost Barn, se comparado ao sistema de confinamento free stall (caracterizado por camas individualizadas, corredores de acesso e pistas de concreto). 

O sistema de inspeção que está sendo desenvolvido pela UFLA consiste na criação de sensores automáticos e de baixo custo, capazes de medir gases causadores de efeito estufa, com previsão de uso a partir de 2020.  O estudo ocorre em parceria com a universidade holandesa Wageningen University, Universidade de Florença, na Itália, e Universidad Nacional da Colômbia. 

O professor do DEG, Flávio Alves Damasceno, informa que faltam análises sobre distribuição das variáveis climáticas e concentrações de gases nas regiões de confinamento de gado leiteiro no país. “Durante o verão brasileiro, as instalações para produção de leite funcionam abertas e com ventilação natural ou forçada. É fundamental levantar informações seguras de emissões de gases na pecuária de Minas Gerais”, justifica.

Depois do acompanhamento, a intenção do projeto é desenvolver novo sistema de manejo para a cama da instalação compost barn, que permita reduzir a concentração de amônia e metano no meio ambiente. Os dados ainda farão parte de um inventário detalhado da situação das instalações Compost Barn de propriedades rurais do sul de Minas Gerais. 

 

 

Reportagem: Pollyanna Dias, jornalista- bolsista Dcom/Fapemig

Edição dos Vídeos: Luís Felipe Souza Santos  - bolsista  Dcom/UFLA  

 

Esse conteúdo de popularização da ciência foi produzido com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais - Fapemig.