Ir direto para menu de acessibilidade.
Meio Ambiente

Pesquisa revela que antas contribuem para o reflorestamento de áreas degradadas

Escrito por DCOM | Publicado: Segunda, 08 Abril 2019 14:31 | Última Atualização: Segunda, 08 Abril 2019 15:14 | Acessos: 897
Dr. Lucas Paolucci

Uma pesquisa desenvolvida pelo Programa de Pós-Graduação em Ecologia Aplicada da Universidade Federal de Lavras (PPGECO/UFLA) e pelo Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (IPAM) revela que as fezes das antas possuem grande potencial para contribuir com o reflorestamento de áreas degradadas pelas ações humanas.

A ocorrência está relacionadaaos hábitos alimentares do animal. A espécie possui alimentação baseada em frutas, brotos e folhas. As sementes ingeridas são expelidas em suas fezes e, com o tempo, tendem a florescer. Por ser um animal grande, e caminhar bastante, a anta realiza a dispersão de sementes por uma longa extensão.

A pesquisa foi realizada em uma área conhecida como "arco do desmatamento",por apresentar o maior índice de desmatamentoda região amazônica. A escolha foi feitaquando os pesquisadores perceberam que as antas tinham preferências por lugares degradadose passavam a maior parte do tempo nesses terrenos.

 O pós-doutorando da UFLA responsável pelo estudo,Lucas Paolucci, e o então mestrandoda Universidade do Estado do Mato Grosso (UNEMAT) Rogério Libério Pereira analisaram a dispersão de sementes presentes nas fezes do animal, sob a coordenação do pesquisadordo IPAM Paulo Brando. Em quatro campanhas no ano de 2016, os cientistas coletaram excrementos dos mamíferos em três tipos de áreas: uma de floresta preservada, outra queimada com incêndiosexperimentais realizados anualmente e a terceiraqueimada com incêndios experimentais trienais.

Nessas amostras, foram encontradas aproximadamente 129 mil sementes dentro das fezes do animal, de 24 espécies de plantas diferentes. Aproximadamente 75% das fezes que foram coletadas nas áreas degradadas possuíam 90% das sementes.

Após a observação, os pesquisadores concluíram que, em ambientes com a maior parte da floresta degradada, as antas, devido ao seu tamanho, percorrem maiores distância e distribuem mais sementes em uma extensão maior, se comparada à distribuição de sementes nas florestas intocadas. Por isso, esses animais possuem grande potencial para auxiliar no reflorestamento natural.

Com a comprovação de que as antas contribuem para a recuperação das florestasdegradadas, Lucas afirma que seu estudo traz "mais um motivo para preservar esses animais".

Reportagem: Melissa Carvalho  - estagiária  Dcom/UFLA 

Edição do vídeo: Maik Ferreira  - estagiário  Dcom/UFLA 

 

Assunto(s): Antas , Reflorestamento , Amazônia

Atenção! As notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) estão disponíveis em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.