Ir direto para menu de acessibilidade.
PREMIAÇÃO

Avança Café promove Demoday e premia startups do agronegócio

Escrito por Melissa Vilas Boas | Publicado: Segunda, 26 Agosto 2019 16:33 | Última Atualização: Segunda, 26 Agosto 2019 16:34 | Acessos: 553
Gentileza solicitar descrição da imagem

Quatro startups que desenvolveram soluções para a cafeicultura participaram, na última quinta-feira (22/8), do Demoday do Avança Café – programa de pré-aceleração de startups do café.

O evento, que ocorreu no Anfiteatro da Agência de Inovação do Café da Universidade Federal de Lavras ((InovaCafé/UFLA), destinou-se a premiar os negócios que mais se desenvolveram ao longo de 12 de semanas de trabalho, realizadas no InovaHub e nos polos parceiros do Instituto Federal do Sul de Minas (IF Sul de Minas) em Muzambinho e Machado.   Após os pitches (discursos de venda) apresentados ao público, uma banca de avaliação reuniu-se para decidir quais startups receberiam a premiação, distribuída conforme a classificação:

1º lugar - R$10.000,00 (dez mil reais);

2º lugar - R$7.000,00 (sete mil reais);

3º lugar - R$ 4.000,00 (quatro mil reais).

Os valores deverão ser reinvestidos no desenvolvimento das próprias empresas.   A banca foi composta pelo chefe-geral da Embrapa Café, Antônio Guerra, pelo pesquisador da Gerência Adjunta de Transferência de Tecnologia da Embrapa Café, Antônio Heberlê, pelo analista técnico da OCB, Tiago Barros, e pelo presidente da Minasul, José Marcos Magalhães. Após avaliarem critérios como discurso e histórico de participação das startups, os vencedores da noite foram:

ScanFito (1º lugar),

QIPixel (2º lugar)

AgroRenda (3º lugar).

“Trabalhamos com startups, pois sabemos o real poder de impacto desse tipo de negócio, que é escalável, repetível e altamente inovador. Ao pensarmos nessas empresas inseridas no mercado, vemos o quanto elas são capazes de melhorar a vida de todos os envolvidos na cadeia produtiva do café e, principalmente, dos pequenos e médios produtores”, ressaltou o coordenador do InovaHub, Rennan Campos. Segundo ele, é também objetivo do programa manter a competitividade da cafeicultura nos mercados nacional e internacional através da inserção de novas tecnologias. Para o chefe-geral da Embrapa Café, Antônio Guerra, foi uma grata surpresa o resultado do programa. “Conhecemos jovens empreendedores que apresentaram ideias fantásticas de negócios e de tecnologias para o setor cafeeiro, que vão facilitar a vida das pessoas e gerar recursos. Essas equipes têm reais possibilidades de se tornarem empresas de sucesso e, assim, contribuir para toda a cadeia produtiva e para a sociedade”, declarou.  

Conheça as startups finalistas:

ScanFito (Lavras) - Utiliza VANTs (Veículos Aéreos Não Tripulados) e desenvolve tecnologia voltada para a aquisição e gestão da informação cafeeira, com o objetivo de reduzir custos e aumentar a produtividade.

QIPixel (Lavras) - Oferece ao agrônomo agilidade e precisão no monitoramento das lavouras, gerando economia de tempo e deslocamento para a realização da diagnose.

AgroRenda (Lavras) - De forma simples e intuitiva, viabiliza ao cafeicultor a gestão contínua de sua lucratividade a partir do levantamento facilitado dos custos e o acompanhamento dos preços no mercado físico e futuro.

Viva Café (Machado) - Destina-se aos corretores e produtores com o propósito de facilitar a comunicação e viabilizar os negócios entre ambos, entregando novas formas de vendas aplicadas ao café.  

Sobre o Avança Café

O Avança Café é uma iniciativa do InovaHub/InovaCafé, em parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa Café), por intermédio do Consórcio Pesquisa Café, e já tem anunciada sua segunda rodada, prevista para o segundo semestre deste ano. 

Realizado de 27/5 a 22/8, o programa priorizou projetos com base em Tecnologia da Informação (T.I). Em um futuro próximo, pretende-se expandir sua abrangência para projetos de hardware. Foram executadas, na primeira rodada, as etapas de Prospecção, Sensibilização e Pré-Aceleração. Nessa última, foram realizadas as seguintes fases: Formação de Equipe, Validação de Dor de Mercado, Mínimo Produto Viável (MVP), Pitch, Desenvolvimento de Produto, Mercado, Financeiro, Vendas, Marketing e Planejamento Estratégico.   Na metade do ciclo, foi realizada uma banca tipo exportação, eliminando os projetos que não atingiram o grau de desenvolvimento esperado. Na ocasião, 75% das equipes foram desligadas do programa, restando quatro equipes que seguiram até o final do processo, já realizando suas primeiras vendas.

Texto: InovaCafé

Revisão: Melissa Vilas Boas, relações públicas - bolsista Dcom/Fapemig.

Assunto(s): demoday , inovacafe , ufla , inovahub

Atenção! As notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) estão disponíveis em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.