Ir direto para menu de acessibilidade.
Consumo

Consumidor compra iogurte pela marca e não pelo preço, aponta pesquisa da UFLA

Escrito por DCOM | Publicado: Terça, 03 Dezembro 2019 14:04 | Última Atualização: Terça, 03 Dezembro 2019 17:46 | Acessos: 548
participantes do NENP
Integrantes do NENP

O iogurte, além de ser um produto bastante popular, é também um dos mais nutritivos entre os compostos lácteos fermentados. Por ser versátil e rico nutricionalmente, é o tipo de refeição que está presente em quase todas as dietas, fazendo parte da lista de alimentos saudáveis. Com seu vasto crescimento, as empresas do ramo alimentício têm investido em comerciais assertivos que acabam influenciando diretamente a escolha do consumidor. Pensando nisso, uma pesquisa realizada pelo Núcleo de Estudos em Novos Produtos e Análise Sensorial (NENP), do Departamento de Ciência dos Alimentos da Universidade Federal de Lavras (DCA/UFLA), avaliou a influência do preço, da marca e das características sensoriais na aceitação e intenção de compra de iogurtes.

Para o professor do DCA e orientador da pesquisa João de Deus Souza Carneiro, “tanto características sensoriais do produto como cor, sabor, aparência e textura, quanto a marca e o preço  influenciam na percepção sensorial e na intenção de compra”. Em alguns casos, uma marca já consolidada, aliada a uma boa estratégia de marketing, exerce uma grande influência  no processo de compra das pessoas. É possível observar também que várias características dos produtos induzem diretamente a escolha final dos consumidores.

As alternativas alimentares tendem a ser estáveis ao longo do tempo. No entanto, os hábitos de consumo podem evoluir. Na atual era globalizada, é possível observar que o ramo alimentício cresce a cada ano, como aponta a Associação Brasileira da Indústria de Alimentos (ABIA). Desse modo, é natural que os consumidores sejam expostos a uma grande variedade tanto de produtos quanto de empresas. “Levando em conta essa expansão, avaliamos na pesquisa qual o efeito de  marcas regionais e nacionais na aceitação e intenção de compra de iogurtes”, disse João de Deus.

Os testes foram realizados com cinco  marcas de iogurte de morango e aplicados em 72 consumidores. As amostras de iogurte foram avaliadas em três sessões, quanto à aceitação sensorial e intenção de compra: na primeira sessão as amostras foram avaliadas codificadas, na segunda sessão foi informado o preço de cada iogurte e na terceira sessão foi informada a marca de cada iogurte. “Observamos que as marcas nacionais tiveram maior influência na intenção de compra dos consumidores, mas notamos também que nos testes com amostras codificadas os iogurtes regionais tiveram maior aceitação que os nacionais”, ressaltou o estudante do 8° período de Engenharia de Alimentos, Giovanni Soldan Raimundo

Ao término da pesquisa, os pesquisadores notaram que as características sensoriais influenciaram mais na intenção de compra dos iogurtes do que o preço. No entanto a marca teve grande influência na intenção de compra. “Desta forma precisa ser realizado um estudo sobre a atuação da propaganda e marketing para aumento das vendas de iogurtes regionais, visto que as empresas regionais oferecem produtos de boa qualidade sensorial, mas suas marcas exercem pouca influencia no processo de compra dos consumidores”, concluiu Giovanni.

 

VOCÊ SABIA?

  • O iogurte possui diversas e benéficas propriedades nutricionais graças aos fermentos lácteos e, por conta dessa fermentação, é um alimento de fácil digestão, o que torna seu consumo ideal para pessoas com problemas gastrointestinais;
  • É o melhor veículo para a suplementação de organismos probióticos vivos, sendo também um meio adequado para a incorporação de ingredientes funcionais;
  • Possui as vitaminas B12, B6 e a riboflavina, que são fundamentais para a saúde e que não se encontram em qualquer alimento;
  • O sabor azedo do leite fermentado é devido à formação do ácido láctico e, com o aumento de acidez, ocorre a coagulação das proteínas do leite e a formação do coalho, que é utilizado para fabricação de queijos e iogurtes.

 

Texto: Caroline Batista,  jornalista - bolsista Dcom/Fapemig

Imagens: Eder Spuri - bolsista Dcom/Fapemig

Edição do Vídeo: Rafael de Paiva - estagiário Dcom/UFLA

Assunto(s): iogurte , marketing , preço , consumo , marca

Atenção! As notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) estão disponíveis em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.