Ir direto para menu de acessibilidade.
Impressora 3D

UFLA produz máscaras de proteção individual que serão doadas para profissionais da saúde do SUS em Lavras

Escrito por DCOM | Publicado: Segunda, 30 Março 2020 15:00 | Última Atualização: Segunda, 30 Março 2020 15:46 | Acessos: 9357
modelo de máscara produzida na UFLA

Como parte das ações desenvolvidas pela Universidade Federal de Lavras (UFLA) para conter a pandemia do novo coronavírus, responsável pela Covid-19, professores de diferentes departamentos, estudantes, pessoas da sociedade que possuem impressora 3D e o Centro Universitário de Lavras (Unilavras) se uniram em uma rede de solidariedade para produzir máscaras de proteção individual em acrílico, do tipo “face shield”, que serão doadas para profissionais da saúde que atendem pelo Sistema Único de Saúde (SUS), em atuação direta com pacientes com sintomas relacionados à doença em Lavras.

A iniciativa conta com o apoio da Prefeitura Municipal de Lavras e de empresas privadas, que forneceram as placas de acrílico para compor o modelo desenvolvido pela UFLA. Trata-se de uma força tarefa organizada pelo Gabinete da Reitoria da UFLA e que envolve os departamentos de Ciências Exatas (DEX), Física (DFI), Saúde (DSA) e Engenharia (ABI), mobilizando os cursos de Engenharia Mecânica e Engenharia Civil. A estimativa é de que 500 máscaras sejam doadas ainda esta semana.

De acordo com o professor Sandro Pereira da Silva, do curso de Engenharia Mecânica, o projeto atende às recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) para modelos de máscaras que são utilizadas em países como a China e a Itália. “De forma colaborativa, fizemos simples adaptações ao projeto da OMS, pois a espessura das placas utilizadas no exterior era diferente da que possuíamos na Universidade; então tivemos que fazer uma adequação e desenvolvemos um processo para validar o conceito aqui no Brasil”, explica o pesquisador.

Trabalhando noite e dia, a rede colaborativa de envolvidos no projeto fabrica as máscaras, para atender às necessidades dos profissionais de saúde. O processo começa com a confecção dos suportes de fixação das máscaras que são impressos em impressoras 3D, em um material termoplástico conhecido como PLA. Cada conjunto de máscara gasta cerca de 15 metros de filamento e demora cerca de três horas para ser impresso.mascara 01

Em outro equipamento, as placas de acrílico de 0,75 milímetros que serão usadas para as viseiras são cortadas a laser, em um procedimento simples e rápido, feito por meio de um comando de número computadorizado (CNC). Para os professores, fica a satisfação de contribuir em um momento crítico em nossa sociedade.  “Essa é uma forma de utilizar recursos públicos para ajudar toda sociedade no combate a essa pandemia que estamos vivendo”, diz o professor Jefferson Esquina Tsuchida, do Departamento de Física (DFI).

Máscara Face Shield

O modelo de máscara Face Shield é reutilizável e ajustável, sendo considerado um equipamento de proteção individual extremamente seguro e que evita o contato com gotículas, salivas e fluídos nasais que possam atingir o rosto, o nariz, a boca e os olhos. É recomendável em situações críticas de contágio envolvendo vírus e bactérias. A máscara é recomendada para profissionais da saúde, como médicos, enfermeiros e outros profissionais que trabalham em hospitais, clínicas e unidades de saúde em contato direto para com possíveis infectados.

 

 

Reportagem: Karina Mascarenhas, jornalista - bolsista Dcom/UFLA

Edição do Vídeo: Luiz Felipe - Dcom/UFLA

 

 

Atenção! As notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) estão disponíveis em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.