Ir direto para menu de acessibilidade.
PRÁTICA DE COLETAR ÁGUA EM CIDADES DO SUL DE MINAS

Estudo desenvolvido na UFLA contribuiu para transformar coleta de água mineral na fonte em patrimônio cultural e imaterial de Caxambu

Escrito por Ana Eliza Alvim | Publicado: Terça, 25 Mai 2021 13:58 | Última Atualização: Terça, 25 Mai 2021 13:58 | Acessos: 284
Gentileza solicitar descrição da imagem

O ato de coletar água mineral nas fontes de Caxambu, no sul de Minas Gerais, tornou-se patrimônio cultural e imaterial do município, em uma iniciativa inédita no Brasil. O registro como Patrimônio Cultural e Imaterial é um instrumento legal que permite preservar, reconhecer e valorizar bens que contribuíram para a formação de uma comunidade, além de aumentar a arrecadação de receitas por meio do ICMS do Patrimônio Cultural. Essa foi a primeira vez - concretizada em fevereiro deste ano - que a prática de coletar água nas fontes ganhou esse status. Uma pesquisa desenvolvida no Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade Federal de Lavras (PPGA/UFLA) contribuiu para que a prefeitura do município tomasse a iniciativa. Aliada a estudos da Diretoria de Cultura da cidade, a pesquisa estimulou a Secretaria de Turismo a propor o registro.

A tese de doutorado do pesquisador Lucas Canestri de Oliveira, defendida em dezembro de 2020, analisou a coleta de água na fonte como prática cultural em três municípios do Circuito das Águas (Caxambu, Lambari e Cambuquira). Verificou-se que essa prática reflete consensos sociais herdados culturalmente. O estudo demonstrou o quanto esse ato está carregado de saberes, valores e consensos sociais construídos ao longo do tempo. Leia a reportagem no Portal da Ciência e saiba mais.