Ir direto para menu de acessibilidade.
Cerrado

Pesquisadores da UFLA, em parceria multi-institucional, mapeiam biomassa arbórea do Cerrado

Escrito por Comunicação UFLA | Publicado: Segunda, 30 Agosto 2021 13:50 | Última Atualização: Segunda, 30 Agosto 2021 13:50 | Acessos: 1192
Mapa do cerrado
Fonte: Inventário Florestal de Minas Gerais

O Cerrado é considerado o segundo maior bioma do Brasil em extensão e a mais rica savana do mundo em biodiversidade. Entretanto, as altas taxas de desmatamento têm tornado esse bioma a segunda maior fonte de emissões de carbono no Brasil. Por essa razão, pesquisadores da Escola de Ciências Agrárias da Universidade Federal de Lavras (Esal/UFLA) se uniram a outras 11 instituições, do Brasil e do Reino Unido, para mapear estoques de biomassa lenhosa acima do solo.

A biomassa lenhosa é a matéria orgânica proveniente de árvores ou arbustos, que pode ser utilizada para produzir energia e, portanto, emitir carbono. O estudo “Mapeamento do estoque e distribuição espacial da biomassa lenhosa acima do solo na vegetação nativa do bioma Cerrado brasileiro”, liderado pelo Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (IPAM), foi publicado na revista Forest Ecology and Management, um periódico internacional revisado por pares.

Para a pesquisa, os professores do Departamento de Ciências Florestais (DCF) José Roberto Soares Scolforo, José Marcio de Mello e a pesquisadora do programa nacional de pós-doutorado da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) Marcela de Castro Nunes Santos Terra utilizaram dados do Inventário Florestal de Minas Gerais. O estudo, abrangente, compilou dados de todas as instituições envolvidas, cerca de 1.373 parcelas de amostragem de Cerrado em todo o bioma. A partir dos dados de campo e de índices de sensoriamento remoto, foi possível mapear a predição da biomassa arbórea para todo o bioma.

Para a pesquisadora Marcela, o estudo pode ajudar a definir estratégias de conservação e manejo no bioma Cerrado, ameaçado por altas taxas de desmatamento. “Essa pesquisa é importante porque gerou um mapa de referência e confiabilidade para biomassa arbórea em todo o bioma Cerrado. Além disso, essa colaboração multi-institucional amplia e fortalece parceiras para UFLA, aumentando o alcance e o impacto das pesquisas aqui realizadas”, comenta.

O artigo completo está disponível na página da Forest Ecology and Management