Ir direto para menu de acessibilidade.
registro oficial

Primeiro cavalo da raça Mangalarga Marchador com selo da UFLA recebe registro oficial

Escrito por Comunicação UFLA | Publicado: Quinta, 25 Novembro 2021 15:59 | Última Atualização: Sexta, 26 Novembro 2021 14:41 | Acessos: 412
Gentileza solicitar descrição da imagem

O Setor de Equideocultura da Universidade Federal de Lavras (UFLA) recebeu, na manhã da última quarta-feira (24/11), o registro oficial da raça Mangalarga Marchador pela Associação Brasileira de Criadores de Cavalo Mangalarga Marchador (ABCCMM). A certificação do primeiro cavalo da raça com selo da UFLA ocorreu durante uma aula prática ofertada para os cursos de graduação em Zootecnia, Medicina Veterinária e Agronomia. A disciplina é ministrada pela professora Raquel Moura, da Faculdade de Zootecnia e Medicina Veterinária (FZMV/UFLA). 

O técnico de registro da ABCCMM, Henrique Lobato, responsável pelo registro do cavalo "Absoluto'', explica que, para o animal receber a certificação, é preciso inspecionar e avaliar, e assim, verificar se ele está apto a ser registrado na raça. “É feita avaliação morfológica, na qual mensuramos o padrão da raça, como formação da cabeça, do pescoço, do tronco, entre outras; também são verificadas características fenotípicas”. 

Henrique acrescenta que, “para a Associação, é importante ter esse controle e, assim, saber se esse animal pertence à raça, pois trata-se de uma entidade que é considerada a maior na América Latina. Os animais jovens recebem a aplicação de um microchip para monitoramento e também há coleta de material genético, para conferência de paternidade. Esse material é mantido no banco de dados da ABCCMM, para eventuais inspeções”. 

Também estiveram presentes no evento o professor médico veterinário André Cintra, o professor Henrique Ribeiro Alves de Resende, decano do Departamento de Medicina Veterinária da UFLA, a professora Priscila Vieira Rosa, diretora da FZMV, além de professores da faculdade. 

Para a diretora da faculdade, esse evento é muito importante, pois traz visibilidade e apresenta a qualidade do material genético que a Instituição tem hoje. “O registro desse potro é importante também para enaltecer e difundir o trabalho do Núcleo de Estudos em Equideocultura (Nequi). Os núcleos de estudo são um ganho institucional, fazem um diferencial para os nossos egressos, não só da graduação, como também da pós-graduação, pois conseguem associar a prática com a teoria”, comenta Priscila. 

Entenda a trajetória

Em 2017, o Setor de Equideocultura da UFLA recebeu a doação de uma égua da raça Mangalarga Marchador  “Ábia El Far”, para integrar o plantel didático do setor. A égua era de propriedade do Haras El Far, e a doação à UFLA foi feita por Magdi Shaat, com intermediação do Núcleo Mangalarga Marchador do Alto Rio Grande. Nesse período, a expectativa era que a UFLA viesse a se tornar um criatória da raça, para que os estudantes pudessem vivenciar as práticas para registro genealógico, treinamento e apresentação de animais em eventos oficiais.

A professora Raquel Moura comenta que, “atendendo às expectativas, esse evento que oficializa o registro definitivo do primeiro produto Mangalarga Marchador produzido na UFLA enriquece a vivência acadêmica dos estudantes e promove oportunidades para parcerias, visando melhorias da qualidade no ensino, pesquisa e extensão, relacionados direta ou indiretamente com a produção de equídeos (cavalos, jumentos e mulas)”.

Atualmente, o Setor de Equideocultura conta com seis equinos, sendo dois pertencentes à raça Mangalarga Marchador (MM): Absoluto da UFLA (cavalo castrado com 4 anos de idade) e égua Ábia El Far (matriz doada pelo núcleo de criadores da região), que se se encontra prenhe e com previsão de parto, do segundo produto do criatório UFLA da raça MM, para janeiro de 2022.

Núcleo de Estudos em Equideocultura (Nequi/UFLA)

O Núcleo de Estudos em Equideocultura (Nequi) é uma entidade sem fins lucrativos vinculada à Pró-Reitoria de Extensão e Cultura da UFLA (Proec/UFLA). Ele foi organizado em 5 de abril de 2005 por alunos dos cursos de graduação em Zootecnia, Medicina Veterinária e Agronomia da UFLA, além de alunos de pós-graduação em Zootecnia da UFLA. Atualmente sob a orientação da professora Raquel Silva de Moura, atua de forma a contribuir para formação de recursos humanos e aperfeiçoamento de conhecimentos técnico-científicos sobre equideocultura, com promoção e troca de experiências entre a teoria e a prática com equídeos no Brasil.

Para o técnico de registro Henrique Lobato, que é ex-aluno da UFLA e foi membro do  Núcleo de Estudos em Equideocultura (Nequi/UFLA), é uma honra participar desse momento importante para o setor de equideocultura da Universidade. ”Quando ingressei na Universidade, já gostava muito de cavalo. Fiz parte do Nequi e isso contribuiu muito para minha formação, a experiência prática e as reuniões do núcleo foram significativas para o profissional que sou hoje. A data de hoje é significativa, principalmente, para quem quer seguir a área de equideocultura, ter um cavalo da raça Mangalarga Marchador na UFLA ajuda e facilita no processo de ensino-aprendizado, além de abrir portas para o mercado futuro”, destaca.

Durante a avaliação, o cavalo foi conduzido pelo estudante de graduação em Zootecnia Victor Hugo de Mello, que desde o início do curso faz parte do Nequi/UFLA. “Eu também fiz iniciação científica com a professora Raquel, que é orientadora do núcleo, e participar desse processo contribuiu muito para minha formação acadêmica. O Nequi possibilita que nós, estudantes, trabalhemos com manejo animal. Com isso, é possível desenvolver o conhecimento adquirido em sala de aula e aplicar na prática com os cavalos”.