Ir direto para menu de acessibilidade.
Educação Infantil

Estudo mostra como brincar ajuda a aprender e a se desenvolver na infância

Escrito por Comunicação UFLA | Publicado: Terça, 22 Fevereiro 2022 15:15 | Última Atualização: Quinta, 03 Março 2022 15:11 | Acessos: 464

Pesquisa da Faculdade de Ciências Humanas, Educação e Linguagens (FAELCH) utiliza a formação de professores como meio de ajudar no progresso infantil.

criança brincando na brinquedoteca
Foto: Arquivo Comunicação UFLA

 Brincar é considerado um direito universal pela Declaração Universal dos Direitos da Criança, por meio da qual a criança tem direito a momentos de lazer e recreação, considerados tão importantes quanto outros direitos essenciais. O Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) também destaca a valorização da criança e o direito ao lazer e ao brincar, destacando o brincar e o divertir como condições de liberdade.

Com o passar dos anos, novos olhares sobre a importância do brincar ganharam destaque e mostraram que ele deve estar presente para além da hora do recreio, como destaca a professora Faculdade de Ciências Humanas, Educação e Linguagens, da Universidade Federal de Lavras (FAELCH /UFLA) Francine de Paulo Martins Lima, que se dedica a pesquisar a importância da dimensão lúdica no ambiente escolar e nos espaços educadores. “Por meio da pesquisa ‘Formação docente comprometida com os brincares’, investigamos as possibilidades, os tempos e os espaços do/e para o brincar, bem como sua interlocução com uma formação docente comprometida com o desenvolvimento infantil e a promoção da infância”, explica. Trata-se de um projeto vinculado ao grupo de pesquisa Formação Docente e Práticas Pedagógicas (Forpedi/CNPq), também coordenado por Francine.

O lúdico é um instrumento pedagógico que possui liberdade de trabalhar, de maneira mais prazerosa, o aprender. Assim, a criança desenvolve sua capacidade de explorar, refletir e imaginar os conteúdos e adquirir conhecimento necessário para uma aprendizagem significativa.

Confira a reportagem completa sobre essa e outras pesquisas no Portal Ciência UFLA.