Ir direto para menu de acessibilidade.
INVESTIMENTOS

Ministro da Educação esteve na UFLA e formalizou repasse de recursos que atenderão a diferentes projetos

Escrito por DCOM | Publicado: Segunda, 01 Outubro 2018 08:50 | Última Atualização: Segunda, 01 Outubro 2018 09:24 | Acessos: 1154
Gentileza solicitar descrição da imagem

O ministro da Educação, Rossieli Soares da Silva, esteve na Universidade Federal de Lavras (UFLA) no último sábado (29/9). Ele reuniu-se com a direção executiva, pró-reitores, assessores, diretores, coordenadores e representantes da educação básica do município. Durante o encontro, formalizou a liberação de R$ 10,8 milhões para projetos da UFLA. Os recursos serão utilizados principalmente na viabilização de novas infraestruturas físicas, compra de equipamentos e aquisição de livros. "Particularmente fico muito tranquilo e feliz de saber que a Universidade Federal de Lavras é um grande exemplo na educação do ensino superior no Brasil, por isso me alegro muito de estar aqui podendo contribuir com esse recurso, pois sei que será bem aproveitado, pois essa universidade tem cumprido o seu papel", enfatizou o ministro. 

Durante as atividades, o reitor, professor José Roberto Scolforo, apresentou à equipe do Ministério da Educação (MEC) informações sobre a Universidade, incluindo sua história, principais indicadores (como orçamento, crescimento de área construída, evolução no número de membros da comunidade acadêmica) e ações de destaque do Plano Ambiental. “Essa é a UFLA”, resumiu ao final, “uma Universidade onde trabalhamos intensamente, porque sabemos que temos condições de avançar muito”.

Ele lembrou que a UFLA é uma das três universidades brasileiras que mantêm, nos últimos 5 anos, o que se pode chamar de “duplo 5”– nota máxima em dois índices do MEC: o Conceito Institucional (CI) e o Índice Geral de Cursos (IGC). “Sentimos ‘orgulho de ser UFLA’ porque estamos nos consolidando no seleto grupo das melhores instituições do Brasil; porque temos uma história marcada pela tecnologia e inovação, já que nasceram aqui as pesquisas que levaram à correção do solo do Cerrado e o transformaram em região produtiva para o País; porque apesar de estarmos no interior do Estado, temos assumido grandes projetos nacionais, como o Cadastro Ambiental Rural (CAR). Tudo isso é fruto do trabalho conjunto de muitas pessoas que são comprometidas com o ensino, a pesquisa e a extensão”.

O ministro destacou a UFLA como um exemplo a ser seguido, uma “joia para o Brasil”. "O que nós queremos é cada vez mais a universidade sendo a ponte para essa inovação que a gente tanto busca em sociedade e a UFLA, pela história, já tem feito essa ponte ao longo do tempo.Tenho ouvido falar sempre muito bem do que vocês vêm fazendo aqui em Lavras. A gestão também faz toda a diferença. Quando se faz uma boa gestão, é possível minimizar, ou até mesmo anular, as dificuldades dos momentos mais delicados como os que temos vivido”, avaliou, lembrando que o primeiro atendimento feito por ele como ministro foi ao professor Scolforo.

Rossieli defendeu uma autonomia real para as universidades, tendo como um dos caminhos a permissão para que a arrecadação feita na universidade permaneça na instituição para novos investimentos. “Na pesquisa e na inovação, especialmente, é preciso agilidade; e alguns processos burocráticos ainda existentes acabam causando perda de oportunidades”, explicou. Rossieli também mencionou que está previsto aumento de investimentos na assistência estudantil das universidades para o próximo ano.

Outro ponto forte abordado pelo ministro foi sua preocupação especial com a educação básica. Citou resultados de avaliações nacionais que demonstram que a necessidade de investimento é grande. “Apenas 4% dos estudantes que saem do ensino médio estão em um nível adequado de conhecimento em matemática, por exemplo.” Ele argumentou que a educação deve estar no centro de qualquer projeto político.

Após a reunião, realizada no Salão dos Conselhos, prédio da Reitoria, o ministro visitou instalações do câmpus e partiu para São Sebastião do Paraíso, onde conduziu o ato de liberação de R$ 28 milhões em recursos para o câmpus da UFLA no local. A área doada à UFLA pela prefeitura da cidade tem 150 mil m2 e nela serão construídas as estruturas físicas para abrigar os quatros cursos de graduação que integram a proposta do novo câmpus, contemplando salas de aula, laboratórios, áreas administrativas, centro de convivência, biblioteca e outros espaços necessários às atividades acadêmicas. As obras estão em fase de projeto e devem ser licitadas ainda em 2018, para início da execução até o primeiro semestre de 2019.

Leia publicação anterior  sobre o câmpus UFLA Paraíso.

 

Atenção! As notícias mais antigas (anteriores a Maio/2018) estão disponíveis em nosso repositório de notícias no endereço www.ufla.br/dcom.